(55) 3781-1711 contato@srsa.com.br

Otimismo com as lavouras de soja

Com 5,68 milhões de hectares cultivados com soja, o Rio Grande do Sul poderá colher safra recorde novamente, conforme estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em fase de desenvolvimento vegetativo e início da floração, as lavouras apresentam condições satisfatórias, segundo boletim da Emater. 
 
– Até agora, o desenvolvimento está indo muito bem – confirma Luis Fernando Marasca Fucks, presidente da Associação dos Produtores de Soja do Rio Grande do Sul (Aprosoja-RS). A previsão de La Niña moderado para o verão, porém, deixa os produtores em alerta pela possibilidade de precipitações isoladas. O período crucial para a cultura é a fase de enchimento de grãos – normalmente em fevereiro.
 
– Viemos de quatro safras cheias seguidas. Vamos torcer para que essa seja a quinta – afirma Fucks. 
 
Para este ciclo, há expectativa de novo aumento da área com safrinha de soja, plantada imediatamente após a colheita do milho no Estado. O investimento em uma segunda safra deve ser mais visível em áreas irrigadas com pivô central, que garantem boa produtividade mesmo fora do zoneamento da cultura.
 
Fonte: http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/campo-e-lavoura/noticia/2016/12/otimismo-com-as-lavouras-de-soja-8915300.html / Foto: Diogo Zanatta / Especial

Cadastro de Imóvel Rural já está disponível para agricultores

Os agricultores com imóveis rurais cadastrados junto ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – INCRA, já podem emitir o Certificado de Cadastro de Imóvel Rural-CCIR, referente aos anos de 2015 e 2016. Para isso, os interessados devem acessar o site do INCRA, no endereço eletrônico: www.incra.gov.br, pelo portal Cadastro Rural, no menu “Serviços”.
 
A informação foi repassada através da Secretaria Municipal de Agricultura e Pecuária, de Santo Augusto, através da Unidade Municipal de Cadastramento do INCRA (UMC/INCRA).
 
Para que o CCIR seja validado, o agricultor deverá efetuar o pagamento da taxa cadastral, exclusivamente, na rede de atendimento do Banco do Brasil. A taxa deve ser paga até 14 de janeiro de 2017. Se a quitação não ocorrer até a data, o titular do imóvel deverá emitir 2ª via do CCIR, que conterá os valores de multa e juros calculados pelo sistema, com alerta para nova data de vencimento.
 
A Secretaria Municipal de Agricultura e Pecuária, através da UMC/INCRA, também comunica aos agricultores que não conseguirem emitir o seu CCIR via internet para que procurem a UMC/INCRA localizada junto a Secretaria Municipal de Agricultura e Pecuária de Santo Augusto – SEMAP para maiores informações.
 
A Unidade Municipal de Cadastramento – INCRA lembra aos agricultores que o CCIR é indispensável para legalizar em cartório a transferência, o arrendamento, a hipoteca, o desmembramento, o remembramento e a partilha de qualquer imóvel rural. É essencial também para a concessão de crédito agrícola, pois é exigido por bancos e agentes financeiros.
 
A obrigatoriedade de apresentação do certificado nestes casos atende dispositivos da Lei n.º 4.947/1966 e Lei n.º 10.267/2001. O Certificado Cadastro de Imóvel Rural – CCIR também é um documento necessário para benefícios da Previdência Social.
 
Fonte: http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/campo-e-lavoura/ultimas-noticias/?pagina=3

Agropecuária traz alento à economia gaúcha em 2017

Enquanto as projeções para a economia gaúcha indicam recuperação ainda tímida em 2017, a agropecuária estima crescer 3,4% no próximo ano – puxada por área recorde cultivada com grãos. Se o tempo colaborar, o Rio Grande do Sul poderá alcançar colheita inédita, superior a 33 milhões de toneladas.

– Semeamos a maior safra da história, mais de 8,6 milhões de hectares, temos de ser otimistas – destaca o vice-presidente da Federação da Agricultura no Rio Grande do Sul (Farsul), Gedeão Pereira, que na coletiva de fim de ano da entidade substituiu o presidente Carlos Sperotto, afastado por problema de saúde.

 

O desempenho positivo do Produto Interno Bruto (PIB) agropecuário em 2017 virá após um ano de retração do setor primário, prejudicado por adversidades climáticas causadas pelo fenômeno El Niño e por custos maiores de produção. Com perdas nas lavouras de arroz, e em menor escala nas de soja, o PIB agrícola gaúcho deverá fechar com queda de 3,1% em 2016. 

 

– Esse percentual poderá sofrer algum ajuste, devido à excelente produtividade do trigo – pondera Antônio da Luz, economista-chefe do Sistema Farsul.

 

Se o percentual de queda for reduzido, consequentemente a projeção para 2017 será alterada, com a estimativa de PIB um pouco inferior – por conta da base maior de comparação. Independentemente de ajustes, a projeção de desempenho positivo da agropecuária, combinada com safra cheia, é o principal alento à economia gaúcha, que patina com os resultados ruins da indústria e também dos serviços. 

 

Mais uma vez, o agronegócio será a principal aposta para o Estado voltar a crescer.

 

Desempenho do PIB agropecuário*

Rio Grande do Sul

2016      -3,1%

2017       3,4%

Brasil

2016       -4,8%

2017        5,5%

 

Fonte: http://www.querenciaonline.com/noticia/21481/agropecuaria-traz-alento-economia-gaucha-em-2017 / De zh.clicrbs

Medida Provisória quer agilizar título de terras da reforma agrária

A reforma agrária já assentou quase um milhão de famílias em todo país, mas apenas 15% dos assentados têm título de propriedade da terra. Para solucionar esse déficit uma Medida Provisória, encaminhada ao Congresso Nacional, propõe mudanças no programa de titulação de terras.
 
Uma das principais propostas é regularizar as famílias já assentadas sem autorização do Incra, transferindo a responsabilidade às prefeituras dos municípios. Além desta ação de desburocratização, a Medida Provisória ainda prevê a compra direta de terra sem função social para desapropriação e a seleção de beneficiários da reforma agrária por meio de edital público.
 
Para o Secretaria Especial da Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário, as alterações vão agilizar o processo da reforma agrária no Brasil e, com isso, a meta é entregar 750 mil novos títulos de propriedade até o fim de 2018. Outra vantagem da nova proposta, segundo a Secretaria, é que legalizar centenas de famílias assentadas que não têm acesso a crédito agrícola nem assistência técnica por falta do título de propriedade da terra.
 
Após aprovação no Congresso Nacional, a Medida Provisória – que atualiza as leis 8.629/1992, da reforma agrária e a 11.952/2009, que regula a titulação de terras – ainda terá que ser sancionada pelo Presidente, Michel Temer.
 
Fonte: http://www.uagro.com.br/editorias/agricultura/2016/12/20/medida-provisoria-quer-agilizar-titulo-de-terras-da-reforma-agraria.html / Exclusiva Redação Uagro

Manejo eficiente de pragas reduz aplicações de defensivos em 60%

A realização de um eficiente Manejo Integrado de Pragas (MIP) na cultura da soja pode representar uma redução de cerca de 60% nas aplicações de inseticidas na lavoura. O diagnóstico é do engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, Fábio Baleirini, que recentemente conduziu dia de campo em fazenda localizada na cidade de Dois Lajeados sobre o tema.
 
O MIP se constitui em uma boa prática agrícola, sendo estratégica a promoção e a utilização mais racional dos defensivos, com a intenção de reduzir os custos de produção e diminuir as contaminações não apenas do meio ambiente, mas também dos próprios agricultores. 
 
No dia de campo, a Emater/RS informa que os produtores também puderam conhecer mais sobre a importância da cobertura do solo e da rotação de culturas para a preservação de nutrientes, medidas que evitam a compactação, mantendo o solo vivo e garantindo a absorção da água. 
 
Outro aspecto importante para se reduzir as perdas é a regulagem das colheitadeiras. "O tolerável de perdas na soja é um saco por hectare”, diz o assistente técnico regional na área de Culturas da Emater/RS-Ascar, Alano Tonin.
 
Fonte: http://www.uagro.com.br/editorias/agricultura/2016/12/21/manejo-eficiente-de-pragas-reduz-aplicacoes-de-defensivos-em-60.html / Por DATAGRO