(55) 3781-1711 contato@srsa.com.br

Além da CNA e Apex Brasil, programa tem apoio da Farsul e Senar-RS em escritório regional

Os olhos do agronegócio estão cada vez mais voltados para o mundo. Os sucessivos aumentos de produtividade permitem não apenas o crescimento nas exportações tradicionais, como grãos e carnes, mas, também apresentam novas perspectivas para produtos que podem encontrar nichos no cenário global. Para capacitar e auxiliar os produtores para essas demandas, a CNA, em parceria com a Apex Brasil, oferece o programa Agro.BR com o objetivo de desenvolver novos negócios.

São quatro escritórios regionais que oferecem suporte para aqueles empresários rurais que já realizam algum tipo de exportação e para aqueles que pretendem entrar no mercado internacional. Voltado para produtores e cooperativas, o programa realiza mapeamento de produtores e cadeias, sensibilização e capacitação ao mercado exterior, encaminhamento de acordo com a capacidade e maturidade exportadora, elaboração de planos de negócios para exportações, organização das ofertas e logísticas da regiões no desenvolvimento de uma estratégia exportadora, viabilização comercial das exportações, além de outros encaminhamentos a parceiros do projeto.

Entre os escritórios regionais, um está na sede da Farsul e já vem atuando no suporte aos produtores. O consultor Arturo Muttoni, o responsável pelo escritório no Rio Grande do Sul, aponta algumas cadeias com potencial para atuar no cenário internacional. “No Rio Grande do Sul existem cadeias que podem ser beneficiadas diretamente pelo programa, como lácteos, mel, castanhas e erva-mate”, indica. Ele explica que o trabalho não consiste apenas na capacitação, havendo várias ações conforme o perfil de cada produtor. “Além da capacitação, são realizadas sensibilizações e rodadas de negócios entre outros”, descreve.

No Rio Grande do Sul, o programa oferece ao produtor um suporte que conta, além da integração da CNA e Apex Brasil, com a Farsul e Senar-RS. Muttoni explica que conforme os perfis dos produtores, diversas ações podem ser realizadas. “Pequenos produtores podem ser organizados em grupo e indicados a participarem da Assistência Técnica e gerencial (Ateg) e de outras atividades do Senar-RS, por exemplo’, comenta.

O Agro.BR está elaborando uma vitrine virtual e portfólios digitais, ambos em inglês e mandarim, e realiza seminários que apresentam vantagens e caminhos para a atuação no mercado internacional. O programa conta ainda com um escritório em Shangai, na China que realiza levantamento de informações comerciais e características de negócios. Ele também faz mapeamento de mercados, compradores, distribuidores e parceiros locais; procura oportunidades e características da cadeia comercial dos principais mercados e realiza missões internacionais, que atualmente estão acontecendo por meio de participações em feiras e rodadas de negócios virtuais devido as restrições impostas pela pandemia de Covid-19.

Os produtores interessados em participar do programa Agro.BR devem preencher uma ficha cadastral neste link. Após, é realizada a análise do perfil do produtor e encaminha a assinatura do termo de adesão, quando são realizados os encaminhamentos conforme o perfil de cada um. Não existe uma data limite para a inscrição, mas as vagas são limitadas. Todo o suporte ao produtor rural é feito de forma gratuita.