(55) 3781-1711 contato@srsa.com.br
Custos de Produção mantêm o movimento de alta em setembro

Custos de Produção mantêm o movimento de alta em setembro

IICP aponta aumento de 7,36% no último mês

O Índice de Inflação dos Custos de Produção (IICP) mantém o movimento de alta em setembro, mesmo com uma redução na taxa de câmbio durante o último mês. O indicador registrou elevação de 1,48% em relação a agosto. O principal motivo foi o aumento de tributos de comercialização. No acumulado do ano, o IICP chegou a 7,36% em sete meses, bem acima do IPCA que ficou em 1,34% no mesmo período. Os dados foram divulgados pela Farsul nesta quarta-feira (21/10).
O resultado até setembro é influenciado pela valorização média da taxa cambial que impacta diretamente no custo dos insumos, em sua maioria importados. O resultado só não foi maior em razão da queda no preço do petróleo no primeiro trimestre do ano. No acumulado em 12 meses, o IIPC chegou a 7,67%, contra 3,14% do IPCA. Como a tendência é de que o preço do petróleo siga a trajetória de valorização e a taxa cambial continue alta, os produtores devem ficar atentos aos custos da safra que se inicia, que devem manter movimento de aceleração.
Os preços recebidos pelos produtores também mantêm a sequência de aumento. O índice de Inflação dos Preços Recebidos pelos Produtores Rurais (IIPR) em setembro aumentou 14,81% em relação ao mês anterior. O resultado é consequência da alta taxa cambial, somada a menor oferta e aquecimento de demanda interna de alimentos.
No acumulado em 12 meses, o crescimento do IIPR segue em uma aceleração bem acima do IPCA Alimentos, ficando em 78,84% e 11,79%, respectivamente. Reflexo da variação cambial em patamares históricos que contribuiu na valorização dos produtos agrícolas do primeiro. Já a baixa atividade econômica afeta muitos dos produtos que compõe a cesta do segundo.

Confira o relatório na íntegra.

Produtores poderão utilizar seus estoques de Paraquate na safra 2020/2021

Produtores poderão utilizar seus estoques de Paraquate na safra 2020/2021

Medida da Anvisa já foi publicada no Diário Oficial

Quinta-feira , 08 de Outubro de 2020 11:05

Foi publicada no Diário Oficial, nesta quinta-feira (8/10), Resolução de Diretoria Colegiada (RDC) nº 428, da Anvisa, que autoriza a prorrogação do prazo para uso dos estoques remanescentes de produtos a base da molécula Paraquate em posse dos agricultores para a safra 2020/2021. A decisão atende a uma solicitação feita pela CNA e demais entidades do setor e da Frente Parlamentar Agropecuária.
A Resolução altera a RDC 177/2017 e traz a definição dos novos prazos para a utilização dos estoques na safra 2020/2021. As datas levam em consideração os calendários regionais de cada uma das culturas que possuem registro de utilização do ingrediente ativo.
As lavouras da região sul que podem utilizar produtos a base de Paraquate e as datas limites são: maçã (31 de outubro de 2020); cana de açúcar (30 de abril de 2021); soja (31 de maio de 2021); algodão (28 de fevereiro de 2021); feijão, milho, batata e citrus (31 de março); café (31 de julho de 2021).
Outra mudança diz respeito ao recolhimento dos estoques dos produtos em embalagens de volume igual ou superior a cinco litros. As empresas titulares do registro desses produtos deverão recolher os estoques existentes em poder dos agricultores até 30 dias após o fim do prazo final estipulado.
A Comissão do Meio Ambiente da Farsul destaca que o banimento do ingrediente não foi suspensa, sendo assim, a industrialização e comercialização seguem proibidas.

Portaria autoriza uso de áreas convertidas do Bioma Pampa

Portaria autoriza uso de áreas convertidas do Bioma Pampa

Foi publicada, no Diário Oficial do Estado, edição de 8 de outubro de 2020 (quinta-feira), a Portaria Conjunta Sema-Fepam nº 28/2020, que estabelece os procedimentos administrativos para a autorização de uso de áreas convertidas em imóveis rurais no Bioma Pampa. A medida é válida para os locais onde houve manejo de vegetação nativa, após 22 de julho de 2008, sem autorização do órgão ambiental.
A solicitação deverá ser feita por meio do Sistema Online de Licenciamento (SOL), no ramo de atividade 10740,00 – Supressão de Vegetação Nativa no Bioma Pampa para Uso Alternativo do Solo em Zona Rural. Para dar encaminhamento à solicitação, é necessário que o imóvel rural esteja inscrito no Cadastro Ambiental Rural (CAR) e sua declaração atenda os dispositivos dos artigos 12 e 15 do Código Florestal Federal (Lei Federal nº 12.651/2012). Quando necessário, o produtor ou possuidor do imóvel deverá aderir ao Programa de Regularização Ambiental.
Na inscrição do CAR deverão ser declaradas, minimamente, as classes de cobertura do solo baseados na realidade da área preexistente antes de 22 de julho de 2008 e os recursos hídricos de acordo com as bases cartográficas oficiais. Atendidos os dispositivos, o produtor receberá a Autorização para Uso de Área Convertida. No caso de existência de danos em Áreas de Preservação Permanente (APP) e Reservas Legais (RL) ocorridos após 22 de julho de 2008, deverá ser apresentado projeto de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD), também por meio do SOL.
A Comissão do Meio Ambiente da Farsul lembra aos produtores que a autorização não isenta das medidas administrativas e penalidades previstas em lei. A Federação também destaca que a Portaria tem validade de 24 meses.

Fonte: Imprensa Sistema Farsul

Farsul promove eventos sobre direito agrário

Farsul promove eventos sobre direito agrário

Atividades fazem parte da programação da Expointer Digital 2020

A Farsul, por meio da sua Comissão de Assuntos Jurídicos, promove dois eventos dentro da programação da Expointer Digital 2020. Os debates acontecem nos dias 29 de setembro e 1 de outubro, sempre às 18h30, com transmissão pelo Canal 2 do portal da feira.
No primeiro dia, os painelistas Georges Humbert, professor e pós-doutor em Direito, e Albenir Querubini, mestre em Direito, irão falar sobre “Agropecuária e impactos da legislação ambiental na atividade”. No segundo, o tema será “Nova Lei do Agro: o que muda para o produtor rural?”, que terá painéis com o consultor Jurídico da CNA, Rodrigo Kaufmann, e o economista-chefe do Sistema Farsul, Antônio da Luz.
Nos dois eventos, os debatedores serão o diretor Jurídico da Farsul, Nestor Hein, o presidente da Febrac e advogado, Leonardo Lamachia, e o consultor Jurídico da Farsul, Frederico Buss. Para acompanhar, basta acessar o portal da Expointer Digital, no endereço www. https://www.expointer.rs.gov.br/. Os eventos são promoção da Farsul e Febrac.

Farsul reforça orientações em relação ao recebimento de sementes do exterior

Farsul reforça orientações em relação ao recebimento de sementes do exterior

Federação reitera procedimentos indicados pela Secretaria da Agricultura

A Farsul alerta aos produtores rurais a ocorrência de envio de pacotes de sementes, bulbos, propágulos e material amorfo como forma de brindes em encomendas vindas do exterior ou até mesmo sem nenhuma solicitação. A Federação reitera as orientações da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal do Departamento de Defesa Agropecuária da SEADPR em caso de recebimento dos mesmos pela população em geral e, especialmente, produtores rurais.
Em caso de recebimento desse tipo de material sem ter sido efetuado pedido, o receptor não deve violar a embalagem para evitar que o conteúdo seja exposto ao ambiente. Também não deve plantar, enterrar ou descartar o pacote no solo, cursos d´água, lixo, esgoto ou em outros sistemas de coleta de resíduo. O material deve ser acondicionado em saco plástico e entregue na Inspetoria de Defesa Agropecuária da SEAPDR mais próxima.
A Farsul lembra que ainda não há informações de quais são os objetivos desses envios e qual o conteúdo do pacote. Existe o risco desse material estar infestado com microrganismos patogênicos de plantas ou que contenha sementes ou estruturas de propagação de espécies invasoras daninhas às lavouras. Caso haja a disseminação do conteúdo das embalagens, há o risco de ocorrer infestação de espécies invasoras, causando impactos ambientais irremediáveis em médio-longo prazo e gerando prejuízos irremediáveis às atividades agropecuárias.
Em caso de dúvidas, entrar em contato com uma Inspetoria de Defesa Agropecuária ou com a Divisão de Defesa Sanitária Vegetal do Departamento de Defesa Agropecuária da SEADPR pelos telefones 51 32886289 ou 51 32886294 ou e-mail defesavegetal@agricultura.rs.gov.br.

Olá! Clique em um dos nossos representantes abaixo para ter atendimento online.

Atendimento Online pelo WhatsApp