(55) 3781-1711 contato@srsa.com.br

Produtor terá que ser cada vez mais digital, diz Famato

Para se manter competitivo, o produtor rural terá que cada vez mais incorporar à tecnologia da informação ao dia a dia de sua atividade, do seu negócio. Foi o que assinalou Rui Carlos Ottoni Prado, presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), nesta terça-feira (25), em São Paulo (SP), durante apresentação de uma iniciativa que visa aproximar agricultores, pecuaristas, pesquisadores, start-ups de TI e investidores, com o objetivo de gerar oportunidades, novas soluções e negócios no setor rural.
 
De acordo com Prado, o produtor, daqui em diante, precisará das soluções de TI para garantir aumentos de produtividade e obter redução de custos. “Os percentuais de aumento nos índices de produtividade e dos custos de produção são bem diferentes e isso, no curto prazo, pode comprometer gravemente a rentabilidade do produtor", salientou o dirigente, acrescentando que "para vencer este desafio, será necessário cada vez mais o uso de tecnologias no campo, adaptadas à realidade da agricultura tropical”.
 
Além disso, na avaliação do presidente do Sistema Famato/Senar, a chamada “agricultura digital” também será decisiva para agregar valor à produção, melhorar a eficiência logística, bem como facilitar processos de financiamento e de contratação de seguro rural, entre outros pontos-chave do agronegócio. “A TI vai ajudar o produtor rural a enxergar o negócio como um ‘todo’”, acentuou Prado.
 
Segundo Heygler de Paula, diretor da iniciativa, que também conta com a participação do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), o objetivo principal do esforço é que a conexão entre produtores rurais e desenvolvedores de TI possa acarretar em soluções inovadoras para a resolução de velhos e de novos problemas que surgirão no campo. “Os produtores vão apresentar os problemas, e as empresas vão tentar resolvê-los por meio da TI”, explicou. No primeiro momento, integram a ação, que será lançada oficialmente nesta quinta-feira (27), em Cuiabá (MT), as start-ups Inceres, Agronow, Agvali, Bart.Digital, Promip e Agrosmart.
 
Fonte: http://www.uagro.com.br/editorias/tecnologia/2016/10/26/produtor-tera-que-ser-cada-vez-mais-digital-diz-famato.html / Foto: stock exchange / Por DATAGRO

Custo de produção de aves e suínos continuam em patamares elevados

Os custos de produção da  avicultura e da suinocultura continuam apresentando patamares elevados, em 2016, devido aos gastos do produtor com energia elétrica, combustíveis, milho e farelo de soja, insumos utilizados em larga escala pelos criadores de frangos e suínos. Em várias regiões do país, os criadores reduziram o total de alojamentos dos animais devido à disponibilidade reduzida de grãos, reforçada pela quebra de safra nos principais estados produtores. 
 
O diagnóstico foi apresentado pelo engenheiro agrônomo da Universidade de São Paulo (USP) e pesquisador do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), Marcos Debatin Iguma, no encerramento do 2º Seminário Nacional do Campo Futuro, cujos debates ocorreram ao longo desta quarta-feira (26) no auditório da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em Brasília. 
 
Investimentos – Diante desse cenário, segundo levantamento feito pelos técnicos do projeto Campo Futuro, avicultores e suinocultores estão enfrentando dificuldades para fazer novos investimentos em seus projetos. Essa situação acontece porque, na maioria das regiões analisadas, o produtor só está conseguindo cobrir o Custo Operacional Efetivo (COE), que engloba as despesas do dia a dia da produção. 
 
Um dado relevante a ser considerado, no caso da suinocultura, segundo explica Marcos Iguma, é que o aumento dos preços do milho e do farelo de soja afeta mais os 40% de produtores independentes. No caso dos criadores integrados (parceria com a indústria), esse custo é absorvido pela empresa.
 
Fonte: http://www.uagro.com.br/editorias/pecuaria/aves/2016/10/28/custo-de-producao-de-aves-e-suinos-continuam-em-patamares-elevados.html / Uagro com informações da CNA / Foto: ABPA

A importância do tratamento de sementes de soja

Para que a lavoura seja produtiva e rentável, o agricultor deve ficar atento ao clima, ao manejo correto do campo e também à escolha dos insumos, como, por exemplo, sementes certificadas, de qualidade e tratadas. Uma semente sem um tratamento adequado tem seu potencial de perda de produtividade aumentado entre 10 e 40%. Essa perda está diretamente ligada à incidência de importantes pragas e doenças, à época de plantio e às condições climáticas. 
 
Para evitar perdas durante a safra e assegurar uma lavoura bem estabelecida, a BASF oferece aos produtores o Standak® Top. Com funções inseticida e fungicida, blinda as sementes e as protege contra danos provocados pelas principais pragas e doenças do solo.  Standak® Top é a única solução no mercado com 3 princípios ativos, que propiciam proteção contra as principais doenças, a lagarta elasmo, os corós e o tamanduá-da-soja, bem como maior proteção ao estresse hídrico e a nematoides, e melhor germinação e vigor de sementes e plântulas.
 
O tratamento das sementes com Standak® Top contribuiu para que o agricultor João Carlos da Cruz conquistasse a maior produtividade no prêmio CESB. Com o controle de pragas e doenças do solo promovido pela solução, ele alcançou o índice de 120 sacas por hectare. A utilização de Standak® Top, associada às boas práticas agrícolas, contribui para melhores índices de produtividade nas lavouras de todo o Brasil.
 
Conheça mais em: www.opreferidodocampo.com.br 

O SENAR – RS está desenvolvendo roteiro com sua unidade Movel

Em parceria com o Sindicato Rural de Santo Augusto, o SENAR – RS está desenvolvendo roteiro com sua unidade Movel em várias comunidades de Santo Augusto e região durante esse mês. A Unidade Móvel vem equipada com 10 computadores e é uma sala de aula com todos os recursos de um laboratório de informática completo, onde são desenvolvidos os cursos de inclusão digital de forma gratuíta ás comunidades parceiras.
 
"SENAR – RS, inserindo no mundo digital as pessoas que trabalham pelo sucesso do Brasil.